2023-01-25

H-Alt #12 nomeada como Melhor Antologia

A antologia H-Alt #12, publicada pela Associação Tentáculo e coordenada pelo editor Sérgio Santos, foi nomeado na categoria Melhor Antologia no 4º Prémios Bandas Desenhadas, alusivas a edições de 2022. O livro conta com capa e entrevista ilustrada de Daniel Maia, e BD curta de José Bandeira (com arg. de Nuno Duarte), entre muitas outras BDs e autores.
Adicionalmente, a edição teve ainda destaque com a nomeação para Melhor BD Curta, "The Monster."

2023-01-23

Daniel Maia ilustra novo banner de Vinheta2020

O autor Daniel Maia foi o ilustrador convidado a conceber o topo do blogue Vinheta2020 no 1º semestre de 2023. O autor escolheu desenhar dois dos mais famosos heróis do género Ópera Espacial na banda desenhada: o herói norte-americano Flash Gordon, criado em 1934 por Alex Raymond, e o anti-herói franco-belga Metabarão, das séries Incal, A Casta dos Metabarões, Armas do Metabarão e Metabarão, criado em 1981 pelo escritor Alejandro Jodorowski e pelos ilustradores Moebius e Carlos Gimenez.

2023-01-20

Crónicas de Enerelis: Volume 04 – Cicatrizes [Maegis]

Crónicas de Enerelis da autoria de Patrícia Costa, é uma série de BD de fantasia inspirada no grafismo manga. A saga começou a ser planeada entre 2008 e 2015, começando a ser materializada em 2018. Depois de duas campanhas de crowdfunding bem sucedidas, para a edição do Volume 01 - Prelúdio e Volume 02 - Sangue, em 2021, a autora editou o Volume 03 - Sombras em Maio de 2022 e, a partir d3 20 de Janeiro, chega-nos o quarto volume, intitulado Cicatrizes.

Na sequência dos eventos dos volumes anteriores, o protagonista Eyren Caeli parte para um treino para poder controlar a sua magia. O grupo separa-se e, na pausa na formação de maegian, encontram cicatrizes que julgavam estar saradas. Neste tomo, o leitor irá conhecer mais um pouco do passado dos três companheiros de Eyren, Liriah, Sebeth e Dária, e aprofundar a relação que o protagonista tinha com a sua família.

Sinopse:
Enerelis é um dos três mundos paralelos à Terra. Em paz há catorze anos, é povoado por diversas raças e criaturas que nasceram graças à existência de duas forças opostas, Nox e Aether, atribuindo aos habitantes capacidades extraordinárias.
Após os eventos que culminaram na pausa da formação de maegian, Eyren ruma a Maduncar para o treino que Sebeth lhe prometeu. Nessa busca, descobre que nem todas as suas feridas interiores estão saradas. No entanto, não é apenas Eyren que se encontra com cicatrizes antigas: todos os seus companheiros deparam-se com espectros do seu passado.
De que modo vão encarar as suas cicatrizes mais profundas? Serão eles os mesmos após as suas batalhas pessoais? E até onde vai o perdão com o passado, se este parece mais presente do que nunca?...

Biografia:
Patrícia Costa é ilustradora e autora de BD, e começou o seu percurso na Banda Desenhada em 2018, ao frequentar o I curso BD Montijo: Iniciação à Arte Sequencial, ministrado por Susana Resende.
Posteriormente, foi vencedora nos concursos de BD promovidos pelo 29º Amadora BD (1º lugar na Categoria A+), e 13º e 14º BDteca de Odemira (3ºs lugares), assim como nos XVII Troféus Central Comics na categoria Melhor Obra Curta, em 2020. Participou também com obras curtas em alguns números do fanzine Outras Bandas, editado pelo Colectivo Tágide, e revista H-Alt #9, com argumento de Penim Loureiro.
Os dois primeiros álbuns auto-editados de Crónicas de Enerelis contaram com diversas nomeações dentro do sector. Neste momento, encontra-se a produzir o Volume 05 e planeia o lançamento de um fanzine de BD e Ilustração, a ser apresentado durante o 1º semestre de 2023.

Os interessados devem contactar a autora através de cdenerelis@gmail.com, no facebook @enerelis ou no instagram @cdenerelis. Até ao dia 12 de fevereiro, todos os volumes editados até à data têm preços e
packs
com desconto.

Crónicas de Enerelis: Volume 04 – Cicatrizes
(Maegis)
Autora/Editora: Patrícia Costa
Álbum BD | 232p | Preto/Branco
1ª Edição: Janeiro 2022 | 150 ex. | PVP: 22,00€*
Encadernação: Capa mole | Dimensão: 17x25cm
*20€ até 12/02.

2023-01-18

Autógrafos: José Bandeira 8

Após os autógrafos que partilhámos anteriormente, alusivos a eventos de 2022, reunimos agora as mais recentes dedicatórias desenhadas por autores portugueses, que o autor e coleccionador José Bandeira reuniu...

2023-01-13

Autógrafos: José Bandeira 7

O autor José Bandeira continua a ser um grande coleccionador de autógrafos personalizados e tem partilhado connosco as dedicatórias obtidas no passado. Em 2023, com a regularização dos festivais de BD pós-pandemia, o “caçador de desenhos” voltou à carga e juntou excelentes autógrafos de autores nacionais e internacionais.



2023-01-10

Quaresma, o Decifrador vol.2 – Crítica

Os álbuns do autor/editor Mário André continuam a galvanizar a crítica especializada. Depois do 1º volume da sua colecção Quaresma, o Decifrador, baseada nos contos policiais de Fernando Pessoa, ter obtido várias análises por críticos do sector, e de ter sido considerado um dos melhores álbuns nacionais de 2022 pela Associação Juvemedia, chega a vez do recente vol.2, Crime, ser abordado nos media independentes.

Aqui fica a nova apreciação, por Ricardo Belo de Morais, no programa Pessoa para todas as Pessoas, da Rádio Movimento PT Online:



Em 2022, o mercado livreiro português passou a contar com duas versões em bandas desenhadas das novelas policiarias do quase-heterónimo de Fernando Pessoa, o Dr. Abílio Quaresma. As adaptações desta personagem pessoana e das suas histórias são assinadas por Mário André, nestes dois livros: primeiro, de Junho, O Caso do Quarto Fechado, e depois, em Outubro, o 2º volume desta colecção, a novela gráfica Crime.
Na verdade, Fernando Pessoa escreveu sobejamente sobre a sua personagem detectivesca, este Decifrador, dizendo que Quaresma se alimentava de coisas como charadas, problemas de xadrez, quebra-cabeças geométricos e matemáticos, e que vivia com eles como se fossem uma mulher; o raciocínio aplicado era o “harém” de Abílio Quaresma.

Esta personagem criada por Fernando Pessoa foi desenvolvida pelo escritor abraçando um género que era muito popular nas primeiras décadas do séc.XX e que foi também um favorito de Pessoa. A escrita dos contos policiais desta personagem fictícia deu-se durante várias décadas, num conjunto de 13 contos, que começaram a ser transpostos para banda desenhada em registo de novela gráfica, com edição do selo Kustom Rats.
Em 2023, o ilustrador Mário André quer continuar a trazer estas obras, com o aproveitamento do registo – digamos que – sombrio das histórias, feito em preto-e-branco. São dois volumes que tinham mesmo de ter entrada obrigatória no nosso top 10+, uma vez que Mário André foi o primeiro desenhista do mundo a lembrar-se e a ter o arrojo de passar à BD as histórias desta personagem inventada por Pessoa.”


2023-01-08

Tágide: Antevisão para 2023

Em 2023, o Tágide celebra o 4º aniversário e marca a data com a reinvenção do colectivo: na vertente cultural, vai promover encontros ocasionais com autores e apresentação na nova sede, no Ateneu Popular de Montijo, e vai descontinuar a edição do fanzine Outras Bandas para passar a produzir antologias mais profissionais.

Em termos autorais, os seus membros continuam a realizar edições a solo; eis algumas antevisões: Em Janeiro, Patrícia Costa dá arranque ao ano e edita Crónicas de Enerelis: Volume 04 - Cicatrizes (Maegis), que continua esta saga de fantasia. Ainda no 1º semestre, Daniel Maia assina Crónicas da Aldeia Galega: Malaposta, pela Câmara Municipal de Montijo, assim como publica a versão expandida de O Infante Portugal em Universos Reunidos (Kafre/Arga Warga), vencedor do XVI Troféus Central Comics: Melhor Obra Curta, co-assinada por José de Matos-Cruz, e com colaboração de Susana Resende. Para além desta, Susana Resende estreia-se com título próprio, uma antologia que reúne as BDs curtas que tem produzido desde 2013.

A encerrar a 1ª metade do ano,
Duarte & Henrique Gandum (re)editam Congo: Um Mundo Esquecido (Volume 1 - Edição Definitiva), que não foi possível lançar no ano passado; a este, será mais tarde acrescido um teaser do vol.3. Sérgio Santos apresenta o primeiro Best Of da antologia H-Alt, que este ano interrompe a regular edição semestral para fazer rescaldo destes primeiros sete anos no mercado. O autor prevê editar ainda uma antologia a solo, AS-1000, com histórias de temática sci-fi e fantástico, no final do ano.
Por esta altura, o col.
Tágide despede-se do formato de fanzine com Outras Bandas #9, a décima antologia editada em 4 anos.

No último trimestre, há vários títulos a assinalar, embora sem datas concretas:
António Coelho estreia-se na escrita infanto-juvenil com Capitão Morsa e Seus Amigos (Cordel de Prata). Jorge Rodrigues prepara a sua antologia RoD! - 20 Anos a Procrastinar, que marca a sua estreia a solo e que reúne diversas BDs curtas criada ao longo dos anos. Mário André publica o 3º volume da colecção onde adapta os contos policiais de Fernando Pessoa, com Quaresma, o Decifrador: A Morte de D. João (Kustom Rats). E Nuno Dias apresenta o 2º número de Skratchbook, com conteúdos ainda por definir.

Mas mais colegas vão marcar um regresso no final de 2023… apenas, não podem ainda revelar os projectos na calha. Porém, preparem-se para mais BDs de
Pedro Cruz, Susana Resende, José Bandeira e Daniel Maia
!

2023-01-03

Tágide: Publicações de 2022

O colectivo Tágide faz rescaldo da sua actividade, tal como destaques sobre 2019, 2020 e 2021: o ano editorial começou em Fevereiro com BD Montijo: Iniciação à Arte Sequencial – Antologia I, pela C.M. de Montijo, que reúne os trabalhos das formações de Susana Resende a convite do município e que teve exposição na Casa Mora. Com capa da Susana e BDs de Alexandre Silva, António Coelho, Beatriz Fernandes, Filipa Lopes, Filipe Duarte, João Gabriel Coelho, João Mateus, João Pedro Marques, Jorge Rodrigues, José Bandeira, Lucas de Sousa, Maria João Claré, Mário André, Patrícia Costa, Rafael Marquês, Rui Serra e Moura, Shania Santos, Tatiana Ferreira, Tiago Martins e Yves Darbos, esta foi das edições de BD portuguesa que mais estreantes absolutos revelou em simultâneo ao país.
Em Março, o ilustrador Nuno Dias levou a cabo a iniciativa benemérita Sketch4Ukraine, que gerou mais de 300€ para apoio humanitário. Este mês, viu o XIX Troféus Central Comics encher as categorias com trabalhos de membros do colectivo, como a Melhor Argumento Português e Melhor Publicação Nacional, com indicação para Amélia, de Henrique e Duarte Gandum; Melhor Publicação Independente, com indicações para Crónicas de Enerelis vol.1, de Patrícia Costa, e as antologias H-Alt #10 e Outras Bandas; e Melhor Obra Curta, com nomeações para "Menino Perdido," de Susana Resende, e "Pandemia," de Henrique Gandum, ambos publicados em Outras Bandas #4.


Em Abril, as edições subiram de engrenagem. Primeiro, Susana Resende editou o livro ilustrado Os Animais nos Provérbios, pela editora Apenas Livros. O desenhador Daniel Maia publicou CoBrA: Operação Goa, escrito por Marco Calhorda, pela Ala dos Livros, que obteve nomeações no 4º Prémio Bandas Desenhadas como Melhor Ilustração em Obra Nacional e no 33º Prémios Banda Desenhada da Amadora como Melhor Obra de BD de Autor Português. E a autora/editora Patrícia Costa lançou Crónicas de Enerelis: Volume 03 – Sangue, que avança esta colecção de fantasia, na mesma altura em que o vol.2 é incluído nas nomeações do 3º Prémio Bandas Desenhadas.
No final do mês, por altura do 3º Barreiro IlustraBD, evento realizado por João Raz e AMAC, com apoio da C.M.Barreiro, foi pela editado um catálogo das exposições, que destacou os autores e respectivos trabalhos, entre os quais figuraram Daniel Maia, Henrique Gandum, João Raz, Patrícia Costa e Sérgio Santos, entre muitos outros.


Maio, mês do 17º FIBDB, viu as edições da antologia Aurora Boreal em Reflexos Partilhados, coeditada por Kafre/Arga Warga, com trabalhos de Susana Resende, Daniel Maia, João Raz, José Bandeira e Nuno Dias, sob orientação do escritor José de Matos-Cruz; a antologia H-Alt #11, do autor/editor Sérgio Santos, pela Associação Tentáculo, e o novo álbum do autor/editor Mário André, intitulado Quaresma, o Decifrador – O Caso do Quarto Fechado, que adapta os policiais de Fernando Pessoa. O mesmo autor publicou ainda um novo número da sua série fanzinista interventiva, Doce Êmese Canibal #3– Wars!
E o col. Tágide apresentou o primeiro fanzine do ano, Outras Bandas #7 – Heróis Portugueses II, que compilou os desenhos da 2a parte da iniciativa de tributo, realizada pelos autores
António Coelho, Daniel Maia, Filipa Lopes, Henrique Gandum, João Raz, Jorge Rodrigues, José Bandeira, Maria João Claré, Mário André, Nuno Dias, Patrícia Costa (autora da capa), Rafael Marquês, Rui Serra e Moura,
Sérgio Santos, Shania Santos, Susana Resende e Yves Darbos.
O evento incluiu uma pequena mostra de ilustrações por Daniel Maia e Susana Resende, "Antropomorfizações das Estações do Ano."


Entrando no verão, o ilustrador Yves Darbos ilustra capa do ensaio Holding a Fish, e Daniel Maia figura no e-book ACBD: Maio/Junho, que reúne BDs de desafio gráfico online, onde também participaram os colegas José Bandeira e Mário André.
A fechar o verão, a dupla Daniel Maia e Susana Resende (cor) iniciaram uma campanha de BD inédita a nível mundial, em que criam webcomics para FC Porto, figurando os astros da bola no clube e seus adeptos.

Em Setembro, na rentreé editorial, o Tágide publicou Outra Bandas #8, com capa de José Bandeira e trabalhos de António Coelho, Daniel Maia, Jorge RoD! Rodrigues, Mário André, Patrícia Costa, Susana Resende e Yves Darbos, precedendo o 33º festival Amadora BD. Na mesma data, foi publicada a revista JuveBêDê #87, com tributos gráficos ao 25º aniversário do título, onde figuram também Daniel Maia, Henrique Gandum e Patrícia Costa.
No festival em si, estive em destaque o 2º álbum do ano de Mário André, com Quaresma, o Decifrador - Crime; a antologia H-Alt #12, do editor Sérgio Santos, que inclui capa de Daniel Maia, mais uma entrevista ilustrada com arte sua, e uma BD por José Bandeira sob argumento de Nuno Duarte; e o teaser de Crónicas de Enerelis: Volume 04 – Cicatrizes [Introdução], por Patrícia Costa.

Alguns projectos elapsaram para 2023, pelo que perspetivar-se um 1º semestre cheio de novidades. Até lá, boas leituras!


2022-12-31

BD Montijo: Antologia I – Resumo

O mês de Dezembro que hoje encerra foi dedicado a destaques às obras curtas em banda desenhada que figuram no álbum BD Montijo: Iniciação à Arte Sequencial – Antologia I, da Câmara Municipal de Montijo, alusivo aos cursos da autora Susana Resende, entre 2018-2020.


Com 45 formandos no total (lotação esgotada!), os três cursos formaram 30 alunos, dos quais 18 concluíram o projecto final de criação de bandas desenhadas, que a antologia recupera e que estiveram expostas na Casa Mora – Museu Municipal de Montijo. Entre estes, encontramos (do 1º curso) António Coelho, Maria João Claré, Mário André, Patrícia Costa, Rui Serra e Moura, Shania Santos, Tiago Martins, (do 2º curso) João Mateus, Lucas de Sousa, Tatiana Ferreira, e (do 3º curso) Alexandre Silva, Beatriz Fernandes, Filipa Lopes, João Gabriel Coelho, João Pedro Marques, Jorge RoD! Rodrigues, José Bandeira e Rafael Marquês. Destes, 14 autores foram estreantes absolutos, e outros, com experiência anterior, reciclaram conhecimentos, e ainda 5 vieram a vencer concursos na sequência do curso e/ou a iniciar percurso editorial no mercado de BD português.


Complementar aos cursos, os módulos de atelier convidaram para colóquios os artistas profissionais e formadores Penim Loureiro
– escritor do pósfacio do volume –, Paulo Monteiro e Pedro Vieira Moura, a par do autor Daniel Maia, na função de formador-assistente – autor do levantamento histórico no livro.


Para mais informação sobre os autores e suas criações, consultar as etiquetas na coluna esq. do blogue TágideBD. Boas leituras e Bom 2023!

2022-12-30

BD Montijo: Antologia I – Breve história da BD no Montijo, por Daniel Maia

A encerrar o volume BD Montijo: Iniciação à Arte Sequencial - Antologia I, o autor e formador-assistente Daniel Maia assinou um levantamento histórico que tenta sumariar a longa afinidade da câmara municipal com o sector da BD, assinalando as principais actividades culturais realizadas na cidade e destacando os principais autores nascidos ou residentes no município.





Daniel Maia nasceu em Lisboa (1978) e reside no Montijo. É autor de BD, ilustrador publicitário e editor independente. Edita em fanzines e revistas de BD desde 1993, com destaque para MaxMen, O Inimigo Público, Kulto, Comix, BDjornal, JuveBêDê, Venham+5, Tertúlia BDzine, Boletim do CPBD, Sketchbook, BDzona, H-Alt, BDLP, Outras Bandas e muitos outros, e foi o primeiro autor português a publicar num título norte-americano, através da galeria Spotlight Artist na revista-catálogo Previews #8, em 2001. Expôs em eventos da especialidade desde 1995, em Portugal, Bélgica, Espanha, Inglaterra e China, e está referenciado nas enciclopédias Dicionário dos Autores Portugueses de BD e Cartoon (1999) e Larousse de la BD (2004).

Foi premiado com várias distinções, inicialmente nos concursos Art Nove/9ª Arte, onde venceu o 1º lugar, e BDmania/FIBDA, com 3º lugar e Prémio da Crítica Especializada para Autor Revelação; e em prémios críticos, como IV Troféu Central Comics para Melhor Desenho Português (2005), VII Troféu Central Comics para Melhor Publicação Independente (2010) e XVI Troféu Central Comics para Melhor Obra Curta (2018), sendo ainda editor de três obras premiadas nesta categoria. Em 2009, foi um dos doze vencedores (o único português) da busca mundial de talentos da Marvel Comics, ChesterQuest. E em 2022 foi nomeado no 33º Prémio de Banda Desenhada da Amadora para Melhor Obra de BD por Autor Português, e no 4º Prémio Bandas Desenhadas, para Melhor Ilustração em Obra Nacional, ambos por CoBrA: Operação Goa (Ala dos Livros).

Com longa bibliografia em edições a solo e antológicas, em Portugal e no estrangeiro, destacam-se os títulos Compêndio (1996), Pão-de-Law A Primeira Fornada (2005), O Infante Portugal e As Sombras Mutantes (2012), X vol.3 – Siege (2014), O Infante Portugal em Universos Reunidos (2017), Super-Peter: Family Day (2017), Dias de Horror (2017), Virar a Página (2020), Os Contos mais Épicos de Conan (2021), Universal Declaration of Human Rights: An Illustrated Book (2021), A Matter of Right: Future of Justice (2021), Aurora Boreal em Reflexos Partilhados (2022) e CoBrA: Operação Goa (2022).